Soller
Segurança

Rede Catarina: programa que dá voz e dignidade as vítimas

Soller
ANGELA BARBARA PEREIRA / ESPECIAL

O combate a violência contra a mulher em Santa Catarina ganhou no ano de 2017 um grande reforço. É o Programa Rede Catarina de Proteção à Mulher, realizado pela Polícia Militar do estado. Em Morro da Fumaça o programa começou a ser executado em julho de 2018.

De acordo com a PM Camila Vieira Azevedo, uma das responsáveis pelo programa no município, o objetivo é dar suporte às mulheres vítimas de violência doméstica. “O programa busca dar um maior apoio a essas mulheres, além disso, aproxima a Polícia dessas vítimas, e através dessa proximidade tentamos evitar que mais violência aconteça”, explica.

Top Textil
Expresso Nova Era
Garten Papelaria
Pet Point
Station Telecom 125
Unicinco

Os atendimentos em todo o Estado são realizados por no mínimo uma policial feminina. Podendo ser duas mulheres ou uma mulher e um homem, dependendo do efetivo de cada Unidade. Em Morro da Fumaça o trabalho é pela Soldado Camila e pela Soldado Ana. A execução do Rede Catarina começa justamente quando chega a denúncia de violência.

“Nós realizamos um boletim de ocorrência, pegamos todos os dados da vítima, tudo que precisa para ficar registrado no sistema e através desse boletim que é confeccionado é que a gente começa as visitas. Infelizmente a primeira visita inicia a partir de um de algum tipo de violência, pois é a forma que a gente fica sabendo que elas estão acontecendo”, relata.

Conversa com a vítima

Depois de estarem com o boletim de ocorrência as PM’s vão até a casa para conversar com a vítima. “Nós realizamos a visita à mulher vítima, perguntamos se ela aceita esse contato, pois não é obrigada e aí, a partir do momento que a mulher aceita a gente começa a fazer visitas, normalmente a gente tenta fazer a uma vez no mês para não perder muito contato” conta Camila.

Outra situação em que as policiais são acionadas é quando a vítima procura o Ministério Público e pede por uma medida protetiva. “Neste caso o juiz nos encaminha a medida protetiva e a partir dela a gente também acaba acompanhando essas mulheres a partir do momento que o fórum nos informa. Isso acontecendo nós visitamos essas mulheres que tem a medida protetiva, que são os casos em que o agressor não pode se aproximar dela”.

Parceria com Poder Público

O trabalho realizado pelas policiais também conta com o apoio da prefeitura. “Temos uma parceria com o Conselho Tutelar, Assistência Social e isso é muito importante, pois nós temos um número considerável de ocorrências no município e quanto maior o engajamento da sociedade na proteção e prevenção melhor”.

No ano de 2018 foram registrados 49 atendimentos de ocorrências de violência domésticas, com 45 visitas realizadas. Neste ano já são 14 ocorrências registradas até o mês de abril.

Cabe salientar que a “Rede Catarina de Proteção à Mulher” dá a necessária atenção às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, que dá voz e dignidade as vítimas, a partir do conceito de que é possível fazer mais e melhor, de forma simples e efetiva.

RAC

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Topo