Em Morro da Fumaça, cinco presos, 10 mil garrafas de cerveja apreendidas e chefe da quadrilha foragido | Morro da Fumaça Notícias
Fumacense
Segurança

Em Morro da Fumaça, cinco presos, 10 mil garrafas de cerveja apreendidas e chefe da quadrilha foragido

COM INFORMAÇÕES E FOTOS DA POLICIA CIVIL

Policiais Civis de Morro da Fumaça, Cocal do Sul, Urussanga, Lauro Müller, Orleans e Criciúma, com o apoio do Saer, desencadearam uma operação para combater a falsificação de bebidas. A investigação começou no dia 24 de junho de 2021 quando a Polícia Civil, em conjunto com a Polícia Militar de Morro da Fumaça, recebeu informações de que um galpão em Morro da Fumaça, havia sido locado por indivíduos suspeitos.

O local foi identificado juntamente com o grupo. Em diligências, foi identificado que seria um depósito de bebidas falsificadas, que estariam sendo falsificadas em um sítio também em Morro da Fumaça, no Distrito de Estação Cocal.

CDL Morro da Fumaça
Viva Escolha Saudável
Posto Pellegrin
Couto e Cechinel advogados
Soller P
Vanessa Zanatta

Após a colheita de provas, representou-se por diversas medidas cautelares, dentre elas quatro buscas e apreensão. Na tarde de quinta-feira (8), foram cumpridos mandados de buscas em Morro da Fumaça e Criciúma.

No galpão foram encontradas muitas caixas de cervejas Brahma e Antarctica Original, em tese adulteradas. Em um sítio foram encontrados rótulos e tampinhas de Antarctica Original e Brahma, além de equipamentos para mudar rótulos, cola e espojas.

Ao todo foram aprendidos em torno de 10 mil garrafas de 600 ml, cheias e lacradas, um automóvel Chevrolet/Spin, um caminhão, três celulares, caderno com anotações, cinco caixas de papelão com diversas tampinhas Brahma e original, duas embalagens fechadas com rótulos Brahma e original, diversos rótulos soltos, quatro baldes com polvilho para cola, três marretas para fechar as garrafas, um rolo de fita plástica para amarrar as caixas, esponja para lavar as garrafas e várias garrafas vazias.

Cinco indivíduos que atuavam na falsificação foram presos pelos crimes de falsificação de bebida, com pena de 4 a 8 anos, e por organização criminosa, com pena de 3 a 8 anos. O chefe da quadrilha e o gerente foram identificados e estão foragidos.

O Delegado Márcio Neves foi o responsável pela autuação dos investigados. Heméra é a Deusa Grega da Mentira.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cermoful
Topo