Prefeitura saude
Saúde

Aumentam os casos de tireoide e médico alerta sobre os cuidados

Arroz Fumacense
Por Gabriela Recco / Foto: divulgação

Com a importante função de produzir e regular hormônios diretamente responsáveis pelo metabolismo das células no corpo humano, a tireoide é uma glândula situada na parte anterior do pescoço. A tireoide interfere no peso, memória, sono, humor, no funcionamento intestinal, entre outros distúrbios. E se não tratada, dependendo a causa, pode ter consequências graves como arritmias cardíacas, internações em uti e até óbito.

Conforme o médico da Clínica Mova, em Criciúma, Drº Marcos Maffioletti, nos últimos anos aumentou consideravelmente os problemas de tireoide. “Achamos ser pelo acesso mais facilitado aos exames de rotina hormonais, mas também, por influência dos desreguladores endócrinos, que são substâncias externas que utilizamos (componentes alimentares e cosméticos, por exemplo) que podem interferir nas funções hormonais, inclusive da tireoide”, explica. Algumas das doenças de tireoide tem fatores genéticos envolvidos, que podem ser hereditários.

Station Telecom 125
Layze Guollo
Garten Papelaria
Esdra
Sicredi
Top Textil

“O distúrbio mais comum é o hipotireoidismo que é a diminuição da produção de hormônios. Acomete mais as mulheres na faixa dos 20 aos 50 anos”, destaca o médico. Os sintomas mais comuns são: cansaço, sono, indisposição, queda de cabelo, unhas fracas, pele seca, intestino lento. Entretanto, variam de acordo com cada paciente. Ele ainda pontua que tanto o ganho quanto perda de peso são relativos normalmente a retenção de líquidos (inchaço). “Normalmente não ultrapassa dois a três quilos”, completa.

No consultório, o médico realiza o exame clínico, apalpando o pescoço para verificar se há alteração na glândula. “No entanto, para confirmar o funcionamento da tireoide é preciso fazer um exame de sangue onde é feito a dosagem do hormônio tireoestimulante (TSH)”, explica. O exame revela as dosagens de triiodotironina (T3) e a tiroxina (T4), identificando-as se é hipotireoidismo (baixa produção de hormônios) ou hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios). Em alguns casos, é necessário solicitar o exame de ultrassom.

Para aqueles que possuem diagnóstico de tireoide é importante o acompanhamento com um especialista na área. “O tratamento depende do tipo de patologia. Pode ser apenas medicamentoso com acompanhamento periódico, ou até cirúrgico em caso de nódulos com suspeita de câncer”, enfatiza Maffioletti.

RAC

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Topo